O Distrito do Esporte é um oferecimento de
Os mascotes dos clubes da Segunda Divisão do Campeonato Candango estão recheados de simbolismo
A Segunda Divisão do Campeonato Candango de 2018 já tem data para começar. Em 11 de agosto, Brasília, Brazlândia, Botafogo-DF, Capital, Ceilandense, CFZ, Cruzeiro, Legião, Planaltina, SESP/Samambaense e Taguatinga irão lutar por duas vagas na elite do futebol do Distrito Federal na próxima temporada.
Junto com os jogadores, as cores e as tradições de cada equipe participante entrarão em campo em busca do retorno aos principais gramados do Candangão. Um dos símbolos de maior carisma junto aos torcedores, os mascotes das agremiações viram marcas de grande identificação de cada clube e carregam grande simbolismo.
O mascote do multicampeão Brasília, por exemplo, é bastante simbólico e retrata a forma da Capital Federal, que foi arquitetada por Oscar Niemeyer em forma de um avião. Já o CFZ, filial do clube de Zico no Distrito Federal adotou um Galinho, apelido do jogador que fundou a agremiação e é um dos maiores ídolos do futebol brasileiro.
De volta ao futebol candango, o Taguatinga faz ressurgir sua famosa águia, que agora figura abaixo do escudo principal do TEC. Além do nome, o Botafogo-DF herdou o mascote de seu primo carioca e é representado pelo famoso Manequinho. Já o Legião pelo já tradicional Leão. O símbolo do clube carrega ainda uma guitarra para lembrar os laços do time com a saudosa banda brasiliense Legião Urbana.
Carregando o mesmo nome, os Planaltinas da Segundinha carregam algumas diferenças: a localidade, com cada um representando a cidade candanga e o outro a goiana. O símbolo escolhido também destoa as equipes. Os goianos, que terão sede em Samambaia, adotaram a Pantera, enquanto os brasilienses são representados pelo Galo.
O Brazlândia adota um marco de sua cidade. É bastante comum avistar Garças nos arredores do lago Veredinha. O Capital também é representado por um animal que é visto constantemente em qualquer lugar do Distrito Federal: o parceiro da Universidade de Brasília (UNB) escolheu a Coruja e a mantém desde sua fundação. 
Em seus primordes, a cidade do Cruzeiro era conhecida como Bairro do Gavião. Assim, o clube não perdeu tempo ao escolher o Gavião Carcará como marca. Assim que firmou parceira esportiva com o Atlético Goianiense, o Ceilandense adotou o Dragão, mesmo animal que representa a equipe goiana. Mesmo após o fim do acordo, o clube de Ceilândia continua com o símbolo.

Briga pelo acesso

A competição, que será organizada pela Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF), será disputada entre 11 de agosto e 29 de setembro. As equipes participantes do torneio dessa temporada têm sede no DF e em Goiás. O campeonato garante duas vagas para a primeira divisão de 2019 para o campeão e o vice. 
O campeonato será disputado em três etapas: fase classificatória, semifinais e final. Na primeira fase, as onze equipes serão divididas em dois grupos e jogarão entre si, dentro de cada grupo em um único turno, totalizando cinco rodadas. As duas equipes de cada chave com o maior número de pontos conquistados na primeira fase avançarão para as semifinais. A partir daí, os times se enfrentarão em mata-mata a grande final.
Os mascotes adotados por cada clube da Segundinha
Brasília – Avião
Brazlândia – Garça
Botafogo – Manequinho
Capital – Coruja
Ceilandense – Dragão
CFZ – Galinho
Cruzeiro – Carcará
Legião – Leão
Planaltina – Galo
SE Planaltina – Pantera
Taguatinga – Águia

O Distrito do Esporte é um oferecimento de

Comente

Please enter your comment!
Please enter your name here