O Distrito do Esporte é um oferecimento de
Cotando com nomes consagrados como Radamés, o TEC garantiu o primeiro lugar do grupo A da Segundinha

Foto: Ascom/Capital C.F.

Em junho, os torcedores do Distrito Federal receberam aquela que seria uma das notícias mais positivas da temporada. Depois de 19 ausente do cenário esportivo de Brasília, o Taguatinga Esporte Clube estava de volta às competições profissionais e disputaria a Segunda Divisão local. Com grande expectativa de voltar aos tempos áureos, quando conquistou cinco títulos do Campeonato Candango, o saudoso TEC montou um time para competir com força.

O alto investimento trouxe ao clube azul e branco nomes como Edmar Sucuri, Preto Costa, Maninho, Radamés, Michel Platini, Klécio e outros. Comandados pelo experiente técnico Ricardo Antônio, o elenco da Águia fez bonito e, conforme as expectativas, se classificou para as semifinais da Segunda Divisão do Campeonato Candango com o primeiro lugar do grupo A.

Ao todo, foram três vitórias e um empate nos quatro jogos disputados. Por ter realizado melhor campanha na primeira fase da competição, o TEC terá o direito de decidir a vaga no Candangão 2019 como mandante. O bom desempenho no grupo A da Segundinha local também garantiu ao clube azul e branco a vantagem de jogar por dois resultados iguais.

Agora, o Taguatinga está a dois passos de voltar à elite do futebol candango. O adversário por uma vaga no Campeonato Candango de 2019 será o Legião, que se apoia no bom momento vivido por seus garotos para fazer frente ao forte TEC. Reestruturado, o clube azul e branco busca o retorno para seguir um projeto duradouro e se manter entre os principais times do Distrito Federal, onde um dia esteve e marcou época.

Visão do Distrito do Esporte

Ponto forte: força do elenco
Antes mesmo do início da Segunda Divisão do Campeonato Candango, a presença do Taguatinga por uma das duas vagas na elite local já era dada como certa por muitos. Com poder de investimento, a Águia trouxe jogadores renomados do futebol de Brasília e agora colhe os frutos, estando a dois passos da volta do Candangão.
Pode melhorar: os custos da experiência
Apontar um ponto fraco no TEC é uma missão bastante ingrata, mas, quando analisado friamente, é possível observar que o time precisa lidar com os custos da experiência. Com média de idade mais alta, a Águia costuma perder o gás na segunda etapa dos jogos. Além disso, terá pela frente um adversário marcado por ter atletas jovens que aprontam bastante correria.
Destaques individuais
Edmar Sucuri: o goleiro, vice-campeão candango pelo Brasiliense em 2018, fechou o gol da Águia em diversas oportunidades. Sucuri foi um dos responsável pelo baixo número de vezes em que a defesa do time foi vazada.
Anjinho: artilheiro do time azul e branco na divisão de acesso do futebol local com dois marcados (Klécio tem a mesma quantidade), o jogador foi peça importante da equipe e se destacou dentro de campo.
Preto Costa: após boa temporada no Brasiliense, o zagueiro chegou ao TEC para dar consistência defensiva ao clube e vem fazendo um excelente trabalho, mantendo o grande nível de atuação característico do defensor.
Recado do professor – Ricardo Antônio
Assim como feito com os demais clubes semifinalistas da Segunda Divisão do Campeonato Candango, o Distrito do Esporte entrou em contato com Ricardo Antônio e com a assessoria de comunicação do Taguatinga para viabilizar a participação do técnico. Porém, não obtivemos retorno até a publicação desta matéria.
O Distrito do Esporte é um oferecimento de

Comente

Please enter your comment!
Please enter your name here